Esporotricose: conheça a micose que pode afetar animais e humanos

por Equipe Sulmed, 2017-05-02

 

É comprovado pela ciência que ter animais de estimação em casa pode trazer benefícios para a saúde física e mental. Mas é preciso ter cuidados para manter o cão ou gato saudável, assim como todos os humanos que convivem com o bichinho. Causada pelo fungo Sporothrix schenckii, a esporotricose é uma micose que afeta ambos e tem cura.

Segundo pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), os gatos são os principais animais afetados e podem transmitir a doença para os seres humanos. O fungo causador da esporotricose geralmente habita o solo, palhas, vegetais e também madeiras, podendo ser transmitido por meio de materiais contaminados, como farpas ou espinhos. Animais contaminados, em especial os gatos, também transmitem a doença, por meio de arranhões, mordidas e contato direto da pele lesionada.

Os sintomas nos gatos incluem lesões ulceradas na pele, ou seja, feridas profundas, geralmente com pus, que não cicatrizam e costumam evoluir rapidamente. Já nos humanos são lesões na pele, que começam com um pequeno caroço vermelho, que pode virar uma ferida. Geralmente aparecem nos braços, nas pernas ou no rosto, às vezes formando uma fileira de carocinhos ou feridas.

As formas de evitar a transmissão são simples: uma boa higienização do ambiente é fundamental, além de evitar manusear animais que estejam com machucados. Em caso de sinais da doença, é importante levar o animal ao veterinário e buscar tratamento com um médico também. Geralmente ambos os tratamentos incluem a administração de antifúngico. Não existe vacina contra a esporotricose, mas alguns estudos vêm sendo desenvolvidos pela Fiocruz.

Fonte: Ministério da Saúde e Fiocruz

0 comentários para o post "Esporotricose: conheça a micose que pode afetar animais e humanos"

Comente